SHARE

Vitória de Dricus Du Plessis sobre Robert Whittaker: uma análise sobre o duelo surpreendente do UFC 290

No UFC 290, evento gigantesco que ocorreu em 8 de julho de 2023 nos Estados Unidos, o mundo das lutas testemunhou uma das maiores zebras do ano. O sul-africano Dricus Du Plessis venceu o australiano e ex-campeão do peso-médio Robert Whittaker, conhecido como ‘The Reaper’. O combate trouxe diversas surpresas e reviravoltas emocionantes, consolidando a posição de Du Plessis como um desafiante sério para o campeonato de peso-médio, e atual campeão, Israel Adesanya.

Du Plessis não apenas praticamente desconsiderou as habilidades de Whittaker, como mostrou uma força e resiliência impressionantes. O sul-africano surpreendeu muito o australiano e conseguiu um nocaute no segundo round, uma façanha que chocou a todos, publico e profissionais ligados ao mundo das lutas, considerando que ‘The Reaper’ era o grande favorito para vencer a luta.

“…  Gostaria de dizer obrigado. Na verdade, obrigado, não, mas parabéns para Dricus. Ele apareceu para lutar, e eu não. Mas essa é a natureza da fera. Você não pode ter um dia de descanso. As coisas são assim. Acredito que desafios e obstáculos te fazem mais fortes. Voltarei mais forte, e espero que seja no fim desse ano. Quero voltar a lutar nesta temporada. Quero fechar o ano com uma vitória e trazer de volta o ‘ceifador’” para vocês”, disse Whittaker, no Twitter..

Apesar da derrota inesperada, Whittaker demonstrou de fato uma grande atitude esportiva e respeito pelo oponente. Nas redes sociais, ele parabenizou Du Plessis pela vitória e refletiu sobre a derrota. A derrota representa um novo obstáculo para Whittaker, que visava uma nova chance de disputar o cinturão do peso-médio do UFC. No entanto, o atleta australiano não se mostrou abatido e garantiu que a derrota vai fortalecê-lo como lutador.

Ele promete voltar mais forte para sua próxima aparição no octógono, ainda em 2023.

O embate entre Du Plessis e Whittaker também foi marcado por tensões raciais, amplificadas pelos comentários de Du Plessis sobre ser o primeiro “verdadeiro” campeão africano. Essa declaração provocou discussões sobre quem seria “mais africano”: Israel Adesanya, nascido na Nigéria mas residente na Nova Zelândia há duas décadas, ou Dricus du Plessis, sul-africano que vive em sua terra natal desde sempre.

Com a vitória sobre Whittaker, Du Plessis garantiu sua chance de disputar o título contra Adesanya. O resultado, combinado com as provocações pré-luta, elevou as tensões entre os dois lutadores. O clima acalorado durante um face a face no octógono após a luta sugere que o confronto entre Du Plessis e Adesanya será repleto de animosidade e tensões raciais, elementos que sem dúvida alimentarão a expectativa para a luta.

Em resumo, a vitória de Du Plessis sobre Whittaker no UFC 290 trouxe uma nova dinâmica para a categoria do peso-médio.

As habilidades do sul-africano, combinadas com a rivalidade crescente com Adesanya, prometem trazer momentos emocionantes para os fãs de MMA no futuro. Agora, o mundo das lutas aguarda ansiosamente a próxima etapa deste drama, quando Du Plessis e Adesanya finalmente se encontrarem no octógono.

Robson Augusto – Revista Lutas