SHARE
Miguel Vieira "Pitbull" foto: representação/ Instagram: @miguelvieirapitbull_bjj
Miguel Vieira ostenta suas medalhas no lugar mais alto do pódio. Foto: instagram: @miguelvieirapitibull_bjj

No último final de semana, ocorreu o aguardado Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu da CBJJO, reunindo grandes nomes e promessas da arte suave. Entre os destaques estava Miguel Vieira, conhecido como Pitbull, que, com apenas 10 anos, conquistou o título nas modalidades com e sem kimono, competindo em três lutas no total.

Miguel, atleta da TEAM Silva Jiu Jitsu, compartilhou com a Revista Lutas os desafios enfrentados e detalhes de suas lutas rumo ao duplo-campeonato brasileiro.

“Foi muito legal lutar com kimono e sem kimono. Sem kimono eu tive que subir de categoria, porque não tinha ninguém na minha e fiz só uma luta. Fiz dois pontos na queda e Três na passagem, somando cinco. Com kimono, foram duas lutas duríssimas, A primeira eu fiz quatro a zero e a última fiz 2 a zero e finalizei.” contou “Pitbull”.

“Eu consegui sentir minha evolução e percebi que consegui por em prática tudo que havia treinado.” concluiu Miguel, demonstrando alegria ao perceber seu progresso no tatame.

O pai de Miguel, Diogo Vieira, corretor, detalhou a rotina de treinos do jovem campeão.

“O dia a dia dele é bem tranquilo. Ele tem uma rotina de atleta profissional: acorda, vai pro colégio, quando volta almoça e tal. Ele toma um suplementozinho, que é uma creatina, um whey, pra fortalecer e dar um gás. A gente tem aqui uns pesos, um tatame pequeno em casa e todo dia ele faz um treino físico, pra melhorar a força, melhorar a pegada. Tem dia que ele treina de cinco às nove, e tem dia que treina de seis às nove. Ele faz uns dois treinos por dia, ou até três.”

Diogo mencionou que nunca precisou insistir para que Miguel treinasse, destacando a aptidão, foco e determinação naturais do filho para o Jiu-Jitsu.

“Miguel no tatame fica bem à vontade. Parece que ali é o lugar dele. Ele acostumou, começou a fazer com 5 anos de idade e a rotina de treino dele depois só aumentou. Treinava 3 vezes na semana e quando foi pra faixa amarela passou a treinar todos os dias. Ele gosta muito de treinar, não teve uma vez que eu briguei com ele pra ir treinar, é o contrário, ele não falta treino. O Miguel é bem focado. Eu nunca precisei incentivar ele a isso. Então é muito fácil, eu tenho visto muitas crianças que são campeões e os pais precisam ficar ali cuidando e incentivando e eu nem preciso, porque o tatame já está no sangue dele.”

Diogo explicou como concilia o trabalho com os compromissos do filho no Jiu-Jitsu.

“Às vezes eu me dou ao luxo de faltar o trabalho pra poder estar com ele. Não teve um campeonato que deixei de ir. E realmente às vezes é complicado porque cai numa sexta ou sábado, a gente tem que dar um jeito lá de faltar o trabalho pra poder ir. Fico imaginando se eu fosse CLT, ia ser mais complicado, né?”

Ele também falou sobre o impacto do sucesso de Miguel em suas vidas.

“O esporte impactou, hoje ele já é um campeão, já é bastante conhecido, depois que fizemos a página dele, às vezes eu saio com ele e os outros já conhecem ele na rua. Ele já tem um ou outro fã, tem criança no Instagram que manda mensagem dizendo que se espelha nele. E em todo lugar que a gente vai, o pessoal quer falar dele, quer falar com ele. É uma sensação muito boa você ter um filho campeão. Ver as superações, a evolução, a dedicação e compromisso dele é muito satisfatório, não tenho palavras pra descrever.”

Encerrando a conversa, Miguel falou sobre o apoio que recebe.

Miguel Vieira “Pitbull” foto: representação/ Instagram: @miguelvieirapitbull_bjj

“Meus apoios são meus pais que estão sempre me levando no treino e acreditando em mim, meus professores que estão sempre ajustando meu jogo e hoje eu tenho patrocinadores também que estão sempre me ajudando e acreditando em mim.”

Com um talento incrível e uma determinação inabalável, Miguel Vieira, o Pitbull, mostra que seu caminho no Jiu-Jitsu está apenas começando. Com o apoio incondicional de sua família, treinadores e patrocinadores, ele continua a conquistar vitórias e inspirar jovens atletas. O futuro promete ainda mais conquistas para esse jovem prodígio, que já se destaca como uma das grandes promessas do Jiu-Jitsu brasileiro.