liga de jiu-jitsu do sudeste

JIU-JITSU – NegA?cios, organizaA�A?o – Inaugurada LIGA de JIU-JITSU do SUDESTE.

JIU-JITSU se organizando cada vez mais no país – Inaugurada LIGA de JIU-JITSU do SUDESTE

Sem sombra de dúvida o estado do Rio de janeiro é um centro de excelência no que diz respeito aos esportes de lutas. Em cidades da Baixada Fluminense, como Nova Iguaçú e Belford Roxo, chega-se a encontrar mais de uma academia de Jiu-Jitsu em várias ruas.

Campeonatos como a Copa Iguaçuana de Jiu-jitsu concentram milhares de pessoas em ginásios da cidade e a gama de negócios que se desenvolve em torno dos esportes de lutas vai da simples venda de açaí em um evento à fabricação em grande escala de quimonos e material para proteção dos atletas.

Não há ainda estimativas detalhadas acerca do assunto no que diz respeito ao jiu-jitsu. Mas, uma avaliação rápida feita pela equipe da Revista Lutas após consulta a vários mestres e atletas mostra que um atleta mediano de jiu-jitsu gasta com equipamento e mensalidades de academia aproximadamente 500 reais/mês em cidades como Nova Iguaçú. Na Zona Sul carioca esse gasto pode ser bem maior.

Um atleta de ponta, de alto rendimento, pode multiplicar o valor acima citado até por 10, porque são acrescidos vários itens como treinamento diferenciado, fitness, dieta especializada etc.

A busca pela capacitação na prática esportiva sempre está ligada à imagem de pessoas saudáveis e ao estilo de vestir e de se comportar. Isso tudo acaba ampliando a gama de benefícios, que não alcançam mais somente o atleta, mas também o empresariado e sociedade que orbita em torno do mundo das lutas.

Veja aqui artigo desse autor publicado em O GLOBO sobre a inovação em evento de JIU-JITSU realizado em Nova Iguaçú

Trabalho social

Jiu-Jitsu e educação são hoje indissociáveis. No que diz respeito à assistência social as academias de artes marciais têm realizado um trabalho que seria o papel do estado e algumas vezes até da família no resgate da juventude e ensinamento de princípios básicos de educação, disciplina e respeito aos mais velhos. Na baixada Fluminense e em outros vários locais do Rio de Janeiro há projetos sociais que tem como pilar o Jiu-Jitsu que possuem mais de 300 alunos matriculados.

Como a hierarquia disciplina e meritocracia são alguns dos pilares do esporte, esses princípios se tornam arraigados nos atletas e acabam até se espalhando pelas famílias e rede de amigos.

Liga de Jiu-Jitsu do Sudeste

Nessa quinta-feira, na presença de vários mestres e atletas, foi inaugurada a LJJS – (LIGA de Jiu-Jitsu do SUDESTE), que se propõe a, pela força gerada pela união de mestres e atletas, angariar para o esporte conquistas que dificilmente seriam obtidas de forma individualizada e reverter para o crescimento do Jiu-Jitsu parte maior do enorme capital gerado pelo esporte na região sudeste do país, potencializando também o poder de “resgate social” que se observa na modalidade. Na inauguração o mestre Machado, diretor, ressaltou que a liga de Jiu-Jitsu do SUDESTE não tem como foco ser órgão fiscalizador, regulador etc.

Robson Augusto – Revista Lutas – A revista de LUTAS do Brasil