Início Jiu-Jitsu A?ndios Brasileiros, hA? 10.000 anos partindo para o corpo a corpo!

A?ndios Brasileiros, hA? 10.000 anos partindo para o corpo a corpo!

COMPARTILHE
Share Button

maxresdefaultQuem pensa que lutar agarrado é coisa dos tempos modernos se engana. Faz milhares de anos que gregos, turcos e mongóis praticam lutas de projeção e submissão. No mundo das artes marcias, apesar das grandes referências de lutas ser provenientes da Ásia, (Judô, Jiu-jitsu, Aiki-do, Kung-fu e Hapkido), outras como a luta Grego-Romana já eram praticadas a milhares de anos, e aqui em terras tupiniquins, nossos guerreiros já se arremessavam e emobilizavam a mais de 10.000 anos atraz.

O Brasil é hoje considerado o grande celeiro de lutadores para o Mundo. Contudo, no passado, como dissemos acima, nossas terras já abrigavam grandes guerreiros que praticavam modalidades de combate corpo a corpo.

A mais conhecida modalidade indígena é o Huka-huka, praticada pelos povos do Xingu e Índios Bakairi durante a cerimônia do Kuarup. Anderson Silva um dos maiores do MMA, não resistiu a curiosidade de enfrentar os representandes da pré-histórica e verdadeira Luta Brasileira.

RTEmagicC_Huka-Huka-Luta.jpg

Semelhante a uma luta de Wrestling, os praticantes arrancam seu adversários do solo e procuram jogá-los de costas no chão.

Nossos índios que em seus jogos esportivos em vez de bastões nas corridas de revezamento trocam toras de mais de cem quilos e correm quilômetros revezando, são a mais pura essência da força brasileira. Sem maus hábitos do homem branco, como o consumo de açúcar e sal, e usando apenas remédios da natureza, “são homens muito fortes”, como disse Anderson Silva ao visitar no Xingu uma festa do Kuarup onde se testou na luta Huka-huka.

imagesO Brasil de muitos encantos e muitas tradições, que tem nas lutas como BJJ (Brasílian Jiu-jitsu) e a Capoeira seus maiores representantes de artes marciais aqui criadas, começa a observar que muitos atletas da região Norte reconhecidos Mundialmente, como José Aldo, Yuri e Ildemar Marajó, Ronaldo Jacaré e Michel Trator, carregam em suas veias o sangue de seus ancestrais guerreiros lutadores de Huka-huka. 

Revista Lutas

Share Button